Bem vindos à Ninhada.

A Ninhada é um projeto de escritores, para escritores. Uma plataforma com um objetivo simples: propiciar a troca de leitura de textos entre autores, permitindo a publicação e a divulgação do trabalho dos que dela participam. Um projeto pautado na colaboração, na inovação e na fé em que os literatura brasileira contemporânea merece uma nova vitrine.

E como essa ninhada nasceu? Era uma manhã de sábado e três de nós estávamos tomando café no copo de vidro, em volta da mesa da cozinha. Três escritoras – uma delas recentemente convertida à editora. O assunto: o que nos faz falta, como autoras que somos, para podermos aprimorar nossos textos, publicá-los e divulgá-los? Foi então que uma de nós nos contou que acalentava um antigo sonho.

Com a palavra, Sarah Helena:

Alguns anos atrás, eu escrevi um conto para enviar para um concurso. Escrevi, reescrevi, revisei. Li o conto pela décima vez e cheguei a conclusão de que tinha feito o melhor possível. Enviei o conto com uma esperança de ser escolhida um pouco maior que a média, porque ao contrário de outros momentos, aquele conto parecia estar bem resolvido, terminado, funcional.

Não fui escolhida. E se seguiu uma conversa muito interessante no Twitter entre algumas pessoas que tinham enviado contos para a mesma antologia e também não tinham entrado. O ponto comum dessa conversa era: ok, algo não estava bom o bastante. Mas o que era? Bateu uma angústia geral de não ser capaz de perceber no próprio texto o que era preciso melhorar. Entendíamos que com o número de submissões do concurso era impossível ter uma devolutiva, mas não mudava aquela sensação. Essa necessidade de ter uma opinião sobre seu texto que te dê uma orientação sobre o caminho a seguir.

Então eu comecei a namorar o conceito de um espaço onde cada um de nós pode mandar seu texto, receber o texto de outras pessoas, dar nossa opinião, e depois publicarmos os resultados, compartilhando todo esse processo.

Foi assim que a ideia da Ninhada. Uma boa ideia, acompanhada de um bom café – e de alguns biscoitos, que ninguém é de ferro.

A missão era então criar uma plataforma que nunca tínhamos visto antes. Percebemos de imediato que não seria possível criar um projeto desses sem pessoas com vários tipos de saberes e experiências. Das três mulheres à volta daquela mesa – Sarah Helena, a idealizadora; Claudia Pucci Abrahão, dramaturga com um longo trabalho com narrativas; e Priscilla Lhacer, a administradora, editora e webdesigner quebra-galho – juntaram-se outras duas. Sabine Mendes Moura e Zoe de Camaris foram convocadas pela experiência e pelo reconhecido trabalho como professoras de escrita em suas cidades.

Não pense que foi um projeto fácil de criar. Em meio ao caos que reina na casa de cinco mulheres e suas crias, as reuniões por Skype podem ser bem caóticas às vezes. Mas também não pense que foi difícil. Falar de escrita, de colaboração entre escritores, dar risada das próprias trapalhadas e se surpreender com a qualidade do que se pode produzir estando em conjunto: eis um projeto que vale – muito – a pena construir.

A dinâmica da troca de leituras é orientada por um roteiro de perguntas criado pela Ninhada, que foi aplicado por Claudia Pucci Abrahão durante um módulo do Clipe – Curso Livre de Preparação de Escritores, projeto da Casa das Rosas em São Paulo. São os textos que passaram por esse processo que formam essa revista número zero. Agradecemos à Casa das Rosas e também a todos os alunos que participaram da oficina pelos comentários, pelos aportes e pela incrível oportunidade de vermos nosso projeto alcançar voo.

Os números de 1 a 4 serão financiados com os recursos provenientes do ProAc 2015 – Programa de Ação Cultural da  Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, no qual tivemos a alegria de termos sido selecionadas.

Então, venha. Sente-se, tome um café. Leia, interaja, e esteja pronto para participar. No nosso próximo número, seu texto pode estar aqui também.

Mostrando omentários
  • http://www.rocktownyouth.org/

    dans le petit matin l’insomnie me tire du lit. Ç’est doux la nuit quand ça nous appartient. C’est bon quand ça nous fait s’étirer. Soudain le couette nous interpelle et nous invite à la rejoindre en nous faisant réaliser que le jour va bientôt revêtir ses habits.

  • günstige auto ratenkredite

    Your keepers CD’s were always so priceless. I’ve misplaced mine. The one I tremendously miss is from 2001 – so many fine songs of encouragement. Is it possible to obtain a playlist of the songs on Keeper CD’s (2001 especially) so I can buy the songs separately from iTunes? I assume the discs are out of production as I’ve been unable to find them anywhere.

  • http://www.onlyhumanfilms.com/

    in Oxford, MD. (If you missed the previous posts, check them out here: The Cake, The Adarni, The Rehearsal Festivities) We could not wait to share those posts with you, but we promised that today would be even more

  • snyder auto demotte

    What’s it take to become a sublime expounder of prose like yourself?

  • http://www./

    1aaThank you for sharing superb informations. Your web site is very cool. I’m impressed by the details that you’ve on this blog. It reveals how nicely you understand this subject. Bookmarked this web page, will come back for more articles. You, my pal, ROCK! I found simply the information I already searched everywhere and simply could not come across. What a great web site.

  • fred loya insuranse

    mye av litteraturen rundt koffein og treninger viste en tendens til at det var best effekt på aerobe utholdenhets idretter, ikke heller tvedydig når jo mer en nærmer seg styrketrening og løft opp mot 1RM.

Deixe seu comentário

lexossexualprocrastinação